É uma área localizada, com sensibilidade dolorosa em uma banda ou feixe de um músculo esquelético responsável pela referencia de dor, e se t...

Pontos gatilhos na dor miofascial

É uma área localizada, com sensibilidade dolorosa em uma banda ou feixe de um músculo esquelético responsável pela referencia de dor, e se tratado, resolverá a dor à distância.

Característica da dor

A dor geralmente é localizada sobre o ponto gatilho (PG), ou se espalha do PG até a zona de referência (REPRODUZINDO A QUEIXA DO PACIENTE).

Os músculos afetados podem apresentar fadiga aumentada, rigidez, fraqueza, dor ao movimento ou função e limitação da amplitude dos movimentos.

Os pontos gatilhos podem ser:

ATIVO – reproduzem a queixa clínica, em geral dor, que o paciente reconhece quando são pressionados digitalmente.

LATENTE – não produzem dor espontânea, mas apresenta características semelhantes ao PG ATIVO tais como tensão muscular aumentada e encurtamento muscular.

O PG ativo e latente pode causar disfunções motoras importantes.

A ativação do PG pode estar associada a traumas e micro-traumas, ou seja, abuso mecânico do músculo, na forma de sobrecarga muscular e esforço repetitivo. Sendo agravado por hábitos para funcionais e posturas inadequadas.

Disfunções causadas pelos Pontos Gatilhos

Os distúrbios das funções autonômicas – sudorese anormal, lacrimejamento persistente, coriza persistente, salivação excessiva e atividades pilomotoras.

Os distúrbios proprioceptivos – desequilíbrio, vertigem, zumbidos e percepção distorcida do peso dos objetos quando são erguidos.

Os distúrbios das funções motoras – espasmos de outros músculos, debilidade da função do músculo envolvido, perda de coordenação e redução da força do músculo envolvido,

Atenção! Muitas vezes indica-se o aumento dos exercícios, mas com a presença de PG o músculo é impedido de realizar os movimentos adequados, então, outros músculos são exigidos, aumentado o enfraquecimento e o descondicionamento do músculo envolvido. Dificuldade de pegar os objetos, esses "escapam" inesperadamente, há uma inibição motora do reflexo.

Transtorno do sono – a dor pode perturbar o sono, e esse transtorno aumenta a sensibilidade à dor no dia seguinte causando mais desconforto e irritabilidade.

Teste

Nenhum teste de laboratório ou técnica de imagens foi estabelecido como diagnóstico de PONTO GATILHO.

O Exame mais confiável é o exame clínico, (Veja as figuras ilustrativas 1-4 no link Identificação) por palpação no músculo envolvido, com resposta contrátil local e resposta geral do paciente a dor que poderá ser careta, gritos ou pulos afastando-se do examinador quando o PG for pressionado.

A pressão sustentada do Ponto Gatilho, quando esse for responsável pelo sintoma, fará com que a dor, ou a queixa do paciente se exacerbe.
    

2) Identificação dos Pontos Gatilhos

 
O exame do PG é realizado deslizando o dedo na superfície, até encontrar a banda tensa e então localizar o ponto que é capaz de rolar para um lado e outro.

As imagens a seguir são desenhos ilustrativos.



Fig 1-Exame de PG (palpação plana)

Ao pressionar deve-se manter a pressão para que a dor seja irradiada, desse modo é possível confirmara origem da dor.




Fig.2-Identificação PG

 


Fig. 3 – pressionamento sustentado do PG

Fonte: OLIVEIRA, A. S. ; RODRIGUES, Delaine ; SEMEGHINI, Tatiana Adamov ; CARIA, Paulo Henrique Ferreira ; BÉRZIN, Fausto . Diagnóstico diferencial entre DTM, síndrome da fibromialgia. Revista ABO Nacional, v. 59, n. 3, p. 195-200, 2005.

Pontos gatilhos irradiando dor para locais distantes de sua origem


Dor de cabeça temporal ou dor ângulo da mandíbula
Origem: grupo de músculos subocciptais

 


Dor de ouvido ou dor de dente
Origem: masseter


Dor de ouvido ou dor na maxila
Origem: músculo masseter, pterigóideo lateral


     
3) Tratamento do PG  
    
O tratamento consiste em sua liberação.

A experiência, treinamento e técnica do profissional são essenciais para o resultado satisfatório.

Massagem por fricção com gelo, spray congelante com alongamento, pressão no ponto gatilho, shiatsu, respiração sincronizada, ultra-som terapêutico, injeção no ponto gatilho, agulhamento seco, acupuntura, micro corrente, TENS, LASER terapêutico.
 
É comum a dor miofascial estar associada a diversas outras queixas, fibromialgia, bursites, síndrome do túnel do carpo, tonteiras, alergias, respiração bucal, sinusites, dor de dente, dor de ouvido, torcicolos, dor nos braços, pernas, dor no peito, dor ciática, lombar...

A Anamnese e o exame clínico de palpação digital são essenciais para o diagnóstico.

Laser terapêutico em ponto gatilho no músculo digástrico posterior

 


Laser terapêutico em ponto gatilho no músculo digástrico posterior

 
 
 
     
  4) Exame do Paciente  
     
 


Fig 1 - Exame dos músculos subocciptais

 


Fig 2 - Exame por palpação: Esternocleidomastoideo

 


Fig 3 - Exame por palpação: Músculos posturais, representado na imagem pelo trapézio

Procedimento clinico: tratamento com agulhamento


Fig 4 - Agulhamento em PG no músculo trapézio

 


Fig 5 - Agulhamento em PG no músculo masseter

 


Fig 6 - Alongamento procedimento necessário após o tratamento do PG

0 comentários:

Má-oclusão - significa "mordida" inadequada. A má-oclusão pode estar relacionada à discrepância de bases ósseas maxilo-mandibul...

Causas das disfunções temporo-mandibulares

Má-oclusão - significa "mordida" inadequada. A má-oclusão pode estar relacionada à discrepância de bases ósseas maxilo-mandibulares ou a desarmonia dental. Como a manutenção da saúde da articulação temporomandibular depende de uma boa oclusão, potencialmente, todo portador de má-oclusão é candidato a ter problemas na articulação temporomandibular, (GOULD, 1993; STEENKS & WIJER, 1996; ASCH et al., 2001)

Macrotrauma – procedimento odontológico longo como extração do 3º molar e anestesia geral, (MOLINA, 1989; MINORU, 1995).

Hábitos Parafuncionais - Alguns hábitos podem causar pressões inadequadas na articulação temporomandibular. A persistência de tais microtraumatismos leva a alterações intra-articulares, como: deslocamento de disco articular, alterações capsulares, ligamentares, diminuição de líquido sinovial etc.

Exemplos de hábitos parafuncionais: apertamento dental diurno ou noturno), apertamento de lábios, permanência de objetos entre os dentes, apoio de mão na mandíbula, bruxismo, roer unhas ou remover cutículas com os dentes, mastigar de um só lado, chupar ou morder o dedo, apoiar a mão sobre o queixo enquanto dorme, dormir com travesseiro muito alto ou muito baixo, stress, apoiar com o ombro o telefone de encontro com o ouvido, (BARROS, 1995; STEENKS & WIJER, 1996).

Aceleração/Desaceleração Cervical (Whiplash) - Freqüentemente relacionado a acidentes de carro, o brusco movimento da cabeça para frente e para trás causa estiramento e compressão dos componentes da articulação temporomandibular, podendo danificá-la, (BRICOT, 1999).

Frouxidão Ligamentar - Algumas pessoas possuem todos os ligamentos das articulações relativamente frouxos (provavelmente por questões genéticas). A frouxidão ligamentar em si não representa problema; no entanto, sua associação com outros fatores predisponentes pode levar à desordem da articulação temporomandibular, (MONGINI, 1998).

Excessiva Abertura de Boca - Todas as articulações têm limitações de movimento, e a articulação temporomandibular não é exceção. Quando, por razões diversas, a boca é mantida aberta de modo exagerado, poderá haver danos aos ligamentos, à cápsula articular ou mesmo deslocamento de disco articular. (ASCH et al., 2001; MOLINA, 1989; PAIVA, 1991).

Estresse Emocional – Em muitas pessoas o estresse crônico pode tirar os músculos do estado de repouso para um estado de contração excessiva. Essa hiperatividade dos músculos pode fazer com que eles fiquem doloridos. É muito freqüente o problema nas articulações temporomandibulares aparecerem após um período de estresse, (OKESON, 1998b; STEENKS & WIJER, 1996; MINORU, 1995)

Má Postura – influência diretamente na oclusão, promovendo mudanças de posicionamento das arcadas e sobrecarga muscular, (MONGINI, 1998; ROCABADO, 1979).

Apertamento e Bruxismo (microtraumas) - Desgastes excessivos dos dentes normalmente estão associados às pessoas que apertam ou rangem os dentes, essa atividade é chamada de bruxismo. Com freqüência as pessoas rangem os dentes durante o sono, por esse motivo desconhecem essa atividade. Alguns dos principais sinais e sintomas do bruxismo são: acordar com os músculos da face cansados ou doloridos; acordar com a mandíbula como se estivesse travada; presença de desgaste nos dentes caninos, (ASCH et al., 2001; STEENKS & WIJER, 1996; MINORU, 1995).

Doenças Sistêmicas - Alterações sistêmicas que comprometem outras articulações do corpo podem atingir as articulações temporomandibulares, é o que ocorre nos casos da artrite psoriática, lupus e como mais importante temos a artrite reumatóide, (MOLINA, 1989).

0 comentários:

O diagnóstico de DTM está baseado em vários sintomas, testando a amplitude dos movimentos mandibulares, auscultando os ruídos articulares...

Diagnóstico de uma disfução na articulação temporo-madibular


O diagnóstico de DTM está baseado em vários sintomas, testando a amplitude dos movimentos mandibulares, auscultando os ruídos articulares, examinando o engrenamento dos dentes, apalpando as articulações como também os músculos da face e cabeça. Geralmente o cirurgião oral, pergunta ao paciente em busca de informações que causam a dor e outros sintomas, traumas, hábitos orais, tratamentos médicos e dentais prévios.

Instrumentos de diagnóstico

Os mais comum são:

A) Radiografias Convencionais (radiografias planas, inclusive panorâmica): são rápidas e relativamente baratas. Porém, elas mostram somente a estrutura óssea da articulação, sendo geralmente úteis para avaliar mudanças morfológicas e processos degenerativos da doença.

B) Tomografia Linear ou Planigrafia: este exame mostra "fatias" da articulação. Quando realizadas corretamente e com precisão, permitem melhor visualização que nas radiografias convencionais. As principais desvantagens da tomografia são o tempo e o custo elevado e, como as radiografias convencionais mostram somente o osso.

C) Tomografia Computadorizada: mostra os mínimos detalhes do osso, com uma dose mínima de radiação. Os custos são bastante altos e oferecem uma visão limitada do disco articular e dos tecidos moles.

D) Ressonância Magnética: produz imagens detalhadas e precisas do tecido mole e é considerado o melhor método para estudar a ATM. Nenhuma radiação é usada, mas como o equipamento é sofisticado os custos são altos; às vezes, acima de R$ 1.000,00 para ambos os lados da articulação.

E) Artrotomografia: permite o estudo posicional e funcional da articulação, inclusive do disco articular. O procedimento é realizado pela injeção de um material de contraste na articulação, seguida por radiografias ou tomogramas, vídeo ou uma combinação. Um profissional qualificado é um imperativo para interpretação do exame, o procedimento pode ser muito incômodo, mas quando feito corretamente, a artrografia pode ser uma ferramenta de diagnóstico extremamente precisa.


Foram desenvolvidas uma variedade de outras técnicas para diagnosticar DTM, inclusive para localizar as contrações musculares, chamada de eletromiografia de superfície, sonografia (SonoPak), termografia e cinesiografia. São exames que detalham com precisão as estruturas afetadas.

A Conferência de Tecnologia do Instituto Nacional de Saúde dos EUA fez observações e comentários sobre estes métodos de diagnóstico. Os fabricantes desses dispositivos de instrumentação diagnóstica argumentam que "são métodos clinicamente úteis e objetivos que servem para quantificar os componentes físicos de DTM em pacientes que estão em tratamento".

Os oponentes ao uso rotineiro desses aparelhos dizem que "nenhum dos instrumentos oferecem mais informações e nenhum deles provou a validade diagnóstica ou utilidade clínica, a não ser o seu uso em pesquisas". Estes exames podem ter um custo muito elevado.

0 comentários:

Bruxismo é um distúrbio do sono caracterizado pelo apertar dos dentes, em que as forças sobre a musculatura mastigatória são e...

O que é e da onde vem o nome Bruxismo

Bruxismo é um distúrbio do sono caracterizado pelo apertar dos dentes, em que as forças sobre a musculatura mastigatória são excessivas produzindo dor de cabeça, danos gengivais, desgaste do esmalte dental, dor disfuncional muscular da articulação temporomandibular. Geralmente é o dentista que detecta primeiramente o bruxismo.

O que é e o que não é bruxismo

Bruxismo já foi atribuído a enfeitiçamento por bruxa, deslocamento de energia invasora reprimida podendo ser ela um íncubo, um fluido, uma repressão inconsciente da libido e outras coisas constituindo todas variações do modelo passivista de mente humana. Uma incisão circular na calota craniana, para que a energia invasora esguichasse para fora, tal qual num poço petrolífero, deixando os dentes em paz é um exemplo estimulante para entendermos o que é psicoterapia baseada em deslocamento de repressão inconsciente.

No limiar do novo milênio superstições ficaram para trás. Sabe-se que bruxismo não é doença mental nem fenômeno inconsciente. É simplesmente um ato comportamental acionado por uma memória meganérgica ou megane, criada por seu próprio autor, a qual contém os arquivos de memória programadores daqueles movimentos mandibulares, sem cujos arquivos o ato comportamental denonimado de bruxismo não poderia ocorrer.

Fases do sono

Bruxismo pode ocorrer eventualmente em vigília e em todos os estágios do sono, mas predomina no estágio II e geralmente está ausente no estágio IV.

Origem do termo

Bruxismo vem da bruxaria, cujos manuais foram os mais completos e abrangentes estudos do sono até o século XV. O modelo teórico central desses manuais teve influência tão forte, que sobrevive até hoje camuflado de psicanálise, graças a Freud que, segundo ele próprio, copiou tais modelos, substituindo íncubo por id, possessa por histérica, pactuação por neurose, possessão por psicose. (Se alguém não gostar vá reclamar com Freud. Foi ele quem falou. Eu só estou informando)

O sonho era produzido por um íncubo (Freud chamaria de id) que penetrava no cérebro, assaltava o depósito de memórias, escolhia uma delas e capturava a imaginação passiva (projeção), a qual tinha que se resignar a fazer um teatro (conteúdo manifesto) de acordo com as intenções do grande invasor copulador (conteúdo latente).

A teoria dizia que o corpo era incorruptível, o que deixava para o íncubo invasor uma única via para penetrar na vítima e chegar até o cérebro: era pegar carona no útero (hysteron, hysteria) ejetável, que caminhava fisiologicamente corpo acima e produzia sufocação histérica na garganta. Esse hysteron foi a grande usina provedora de energia do pensamento aceita pela ciência, desde o século III AC., quando o pai da medicina, Hipócrates, criou o modelo teórico do útero ejetável, que Freud também copiou substituindo apenas os termos (útero por libido), mas mantendo a essência conceitual do axioma da energia invasora, continuando a atividade mental como um simples epifenômeno inconsciente das vicissitudes da energia invasora: nomina mutantur, numina permanent: mudam os nomes, permanecem as crenças!

0 comentários:

D-ATM, ou disfunção da articulação temporomandibular, é uma alteração da articulação que liga o maxilar à mandíbula que pode, por exemplo,...

Resumo sobre Disfunções Temporomandibulares

D-ATM, ou disfunção da articulação temporomandibular, é uma alteração da articulação que liga o maxilar à mandíbula que pode, por exemplo, não estar funcionando adequadamente. Essa articulação é uma das mais complexas do corpo humano, responsável por mover a mandíbula para frente, para trás e para os lados. Qualquer problema que impeça a função ou o adequado funcionamento deste complexo sistema de músculos, de ligamentos, de discos e de ossos é chamado de D-ATM. Geralmente, a D-ATM dá a sensação ao indivíduo acometido de que sua mandíbula está saltando para fora, fazendo um estalo e até travando por um instante. A causa exata desta disfunção, em geral, é impossível de ser identificada.

Quais os sintomas da D-ATM?

Disfunções de ATM apresentam muitos sinais e sintomas. É difícil saber com certeza se você tem D-ATM, porque um destes sintomas ou todos eles podem também estar presentes em outros problemas. Seu dentista poderá ajudá-lo a fazer um diagnóstico preciso, através de uma história médica e dentária completa, um exame clínico e de radiografias adequadas.

Alguns dos sintomas mais comuns de D-ATM são:

  • Dores de cabeça (freqüentemente parecidas com enxaquecas), dores de ouvido, dor e pressão atrás dos olhos;
  • Um "clique" ou sensação de desencaixe ao abrir ou fechar a boca;
  • Dor ao bocejar, ao abrir muito a boca ou ao mastigar;
  • Mandíbulas que "ficam presas", travam ou saem do lugar;
  • Flacidez dos músculos da mandíbula;
  • Uma brusca mudança no modo em que os dentes superiores e inferiores se encaixam.

Como tratar a D-ATM?

Existem diversos tratamentos que você pode seguir para diminuir consideravelmente os sintomas. Seu dentista pode recomendar um ou mais dos seguintes tratamentos:

  • Tentar eliminar a dor e o espasmo muscular através da aplicação de calor úmido ou através de medicamentos como relaxante muscular, aspirina ou outros analgésicos comuns, ou ainda antiinflamatórios;
  • Reduzir os efeitos prejudiciais de travamento ou rangido, por meio de um aparelho, algumas vezes chamado de placa de mordida ou "splint". Este aparelho, feito sob medida para sua boca, se encaixa nos dentes superiores e ao deslizar sobre os dentes inferiores impede estes dentes inferiores de ranger contra os dentes superiores;
  • Aprender técnicas de relaxamento para ajudar a controlar a tensão muscular na mandíbula. Seu dentista pode sugerir que você procure condicionamento e aconselhamento para ajudar a evitar o estresse;
  • Quando partes da mandíbula são afetadas e os tratamentos não surtiram efeito, uma cirurgia na articulação pode ser recomendada.

 


D-ATM ocorre quando a

0 comentários:

Faça Fisioterapia